1 de janeiro de 2011

Os quatro pilares da graça


Fui convidado a pregar numa festa de aniversário do templo de uma de nossas congregações em Peruíbe...

Caminhando pelas ruas das grandes e pequenas cidades de nossa São Paulo, impressiono-me com as obras de engenharia e arquitetura, cada quais mais bonitas que as outras. Uma das coisas que chamam-me a atenção é que, independentemente da beleza, todas têm seus fundamentos, sem os quais seria impossível o soerguimento dessas verdadeiras obras de arte.

No mundo antigo da mesopotâmia havia-se toda uma preocupação com o desenvolvimento da engenharia civil, pois no código de Hamurabi (um conjunto de leis daqueles tempos), dizia-se que se uma pessoa fosse morta por um desabamento de uma construção, o tal construtor seria morto.

O templo de Salomão foi construído com pedras justapostas que se encaixavam perfeitamente e causavam uma bela impressão esteticamente. Contudo, pesquisas históricas contam que havia uma pedra, segundo a engenharia da época, que seria fundamental, não menos esteticamente do que estruturalmente, que os construtores não conseguiram justapor, e dela dependia o sucesso e a segurança daquela construção. Tal pedra acabou por ser rejeitada e colocaram outra no lugar. Finalmente o templo ficaria pronto.
A Bíblia Sagrada cita por várias vezes essa pedra da esquina, ou pedra angular, referindo-se a Jesus Cristo como o fundamento da graça, constituindo uma nova dispensação para a humanidade. Essa "pedra da esquina" é dita como rejeitada pelos edificadores, fazendo aqui uma alusão profética aos religiosos judeus da época, que, por ocasião não aceitariam e perseguiriam os cristãos que pregariam sua fé,o que para nós hoje remonta mais de 2.000 anos atrás, sempre tendo Jesus como base para a igreja.

Quando o filho do carpinteiro José -  um homem chamado Jesus- cumprindo-se a promessa primeiro feita a Abrãao e confirmada pelos profetas, começou a pregar as boas novas do reino de Deus, quebrou-se todo um paradigma ideológico. Tal época respirava um contexto sanguinolento: guerras, saques, despojos; dominação do império romano... tudo isso levava ao surgimento de resistências políticas e religiosas por parte dos ascéticos da época.

O povo clamava por mudança, porém, foi natural que houvesse uma resistência à pregação do homem chamado Jesus, por conta de sua condição social, ideologia e política (que, diga-se de passagem, frustava todo um anseio de mudanças por parte do povo)... mas sempre há aqueles que crêem, pois os Evangelhos relatam que sua pregação começou a inflamar as pessoas, sobretudo as necessitadas, ao ponto de se formarem multidões para houvirem Seus ensinamentos.

As bases de uma nova doutrina estavam sendo lançadas e ecoariam séculos até nós, como nos mostra a história.

Entendemos pelo cristianismo que uma vida íntegra que agrada a Deus baseia-se nos seguintes pilares, para  que constituamos o corpo de Cristo, também entendido com o templo da graça:
Conhecimento
A fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus. Portanto, a mesma se dá quando passamos a conhecer acerca do sacrifício do Senhor Jesus, logo reconhecido no original grego como Cristo (ungido, preparado para uma missão especial ) que resultaria em nossa salvação, bastando somente a aceitação pela fé.
Humildade
O reconhecimento de nosso estado depreciável de condição pecaminosa falicita-nos a também reconhecermos a justiça de Deus em Cristo, porque, como está escrito "Cristo Jesus morreu por nós, sendo nós ainda pecadores".
Amor
À essa palavra não cabe teoria, e sim, prática. A Palavra de Deus nos convida a amarmos, não em palavras mas em atos e em verdade. O Mestre por EXCELÊNCIA - não há título de maior honra do que esse - disse aos seus discípulos que só seriam de fato discípulos se se amassem. Isso estende-se a nós.
Perseverança
Tudo na vida requer uma idéia, depois um propósito, então um plano, daí um projeto, as etapas e o objetivo final. De nada vale se em qualquer uma dessas fases pararmos no caminho. O apóstolo Paulo, após falar aos irmãos efésios sobre o preparo do cristão diz: "...após fazer tudo isso, ficai firmes". Não me recordo de outra palavra agora que seja tão sinônimo de firmeza quanto perseverança.

Em Cristo,

5 comentários:

Pastor Guedes disse...

Prezado Irmão Ezequias,

A Paz do Senhor!

Muito bom seu texto.

Obrigado por visitar e seguir meu espaço na web. Também estou lhe seguindo (o blog, risos).

Aproveito para lhe desejar um Feliz Ano Novo!!!!

A liberdade em Cristo. disse...

Graça e paz!
Ezequias Lourenço

Parabéns pelos edificantes e abençoados textos!

E quero agradecer sua honrosa visita e partiçipação no meu blog!

Um abraço!
Rodolfo.

Pr. Natanael S. Pinto disse...

A Paz do Senhor Jesus seja convosco! Quero parabenizar pela edificante postagem e pelo belo trabalho que tem desempenhado no seu blog.

Continui firme.

Abraços

www.prnatanaesp.com.br / twitter.com/prnatanaelsp

Anônimo disse...

Graça e paz!

Fico feliz que mesmo nos tempos de hoje, Homens isalam o perfume de Deus.
Chego até sentir saudades do Céu...
Irmão, que nada neste mundo faça você parar no meio do caminho, continue no ardor missionário e siga com as reflexões, pois são edificantes para muitos.

Col.3.15
Seu irmão
Alexandre.

Anônimo disse...

Oi... Adorei o blog... Parabéns!